Patrono da Diocese

5470233

DIVINO ESPÍRITO SANTO

Padroeiro da Diocese de Ipameri

 
          O Divino Espírito Santo, terceira pessoa da Santíssima Trindade, é comemorado na Festa de Pentecostes, 50 dias depois da Páscoa. É o padroeiro da Catedral e da Diocese de Ipameri.
              “Quando chegou o dia de Pentecostes, todos eles estavam reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho como o sopro de um forte vendaval, e encheu a casa onde eles se encontravam. Apareceram então umas como línguas de fogo, que se espalharam e foram pousar sobre cada um deles. Todos ficaram repletos do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem” (At 2,1-4)
            “Nos últimos dias, diz o Senhor, eu derramarei o meu Espírito sobre todas as pessoas. Os filhos e filhas de vocês vão profetizar, os jovens terão visões e os anciões terão sonhos. E, naqueles dias derramarei o meu Espírito também sobre meus servos e servas, e eles profetizarão. Farei prodígios no alto do céu e sinais embaixo da terra: sangue, fogo e nuvens de fumaça. O sol se transformará em trevas, e a lua em sangue, antes que chegue o dia do Senhor, dia grande e glorioso. E todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. (At 2,17-21)

Os Símbolos do Espírito Santo

Na Bíblia, a obra do Espírito Santo é descrita através de símbolos.
 
A água
Tornada sacramental simboliza e significa a ação do mesmo Espírito, no batismo, Paulo confirma: “Fomos batizados num só Espírito”. E “Todos bebemos de um só Espírito”. (1Cor 12,13).
 
A unção
Trata-se da unção com óleo que passou a ser sinal eficaz do Espírito, Jesus é o messias, palavra hebraica que significa o ungido. A unção com o óleo, tanto no batismo como na crisma é sinal da presença do Espírito como na crisma, é sinal da presença do Espírito em nós, também.
 
O fogo
“Apareceram, então, umas línguas de fogo, que se espalharam e foram pousar sobre cada um deles. Todos ficaram repletos do Espírito Santo”(At 2,3). O fogo simbolizou a energia transformadora da ação do Espírito nos apóstolos.
 
A nuvem e a luz
As nuvens, ora escuras, ora cheias de luz, estão presentes nas diversas manifestações da divindade, narradas na bíblia. Na anunciação de Maria, o anjo afirma que “o poder do Altíssimo a cobrirá com sua sombra”(Lc 1,35). No monte da Transfiguração, o Espírito se apresenta, também, “quando desceu uma nuvem, e os encobriu com sua sombra”. Da nuvem sai a voz “Este é o meu Filho, o Escolhido. Escutem o que ele diz!”. (Lc 9,34-35).
 
O selo
Tem quase o mesmo significado da unção. Os batizados recebem pela unção a marca de Deus. Pertencem ao Senhor, por seu Espírito. É Cristo que “Deus marcou com seu selo”(Jo 6,27) e é no Espírito que também nós somos marcados com um selo (cf. 2 Cor. 1,22).
 
A mão
Era impondo as mãos que Jesus curava os doentes e abençoava as crianças (cf. Mc 6,5; 8,23 e 10,16). A igreja conserva esse gesto na liturgia dos sacramentos para a efusão do Espírito. As famílias piedosas repetem, a toda hora, o mesmo gesto para que Deus permaneça com seus filhos!
 
O dedo
No hino “Vem, Espírito criador”, o Espírito é invocado com o dedo da direita de DEUS! A lei de Deus foi escrita pelo Espírito, através do dedo de Deus, nas tábuas de pedra. (cf. EX 31,28).
 
A pomba
Quando Jesus foi batizado, “viu o Espírito de Deus, descendo como uma pomba e pousando sobre ele”(Mt 3,16). O símbolo da pomba, para sugerir o Espírito Santo, é tradicional na Igreja.
 
O sopro
“Jesus disse de novo para eles: A paz esteja com vocês”… Tendo falado isso: soprou sobre os apóstolos, dizendo: “Recebam o Espírito Santo”(Jo  20,22). Quando chegou o dia de Pentecostes, o sopro de um forte vendaval precedeu a chegada do Espírito (At 2,2).

Dons do Espírito Santo

              Dons são qualidades que Deus dá à nossa alma que nos permitem perceber e viver as graças dele na nossa vida e praticar sua vontade. Tornam-nos dóceis ao sopro do Espírito Santo, despertando-nos para ouvir a voz de Deus em nosso interior e nas coisas criadas por Ele.
 
1) Sabedoria: é o dom de perceber o certo e o errado, o que favorece e o que prejudica o projeto de Deus, quem acredita na libertação e quem está interessado na opressão. A sabedoria é dada especialmente aos pobres (Mt 11, 25) e àqueles que são solidários a eles. Não tem nada a ver com cultura.  Por este Dom buscamos, não as vantagens deste mundo, mas o Bem Supremo da Vida, que nos enche o coração de paz e nos faz felizes. Diz o Senhor: “Feliz o homem que encontrou a sabedoria… Ela é mais valiosa do que ás pérolas” (Cf. Pv 3,13-15). A Sabedoria que vem do Espírito Santo “é um reflexo da luz eterna” (Cf Sb 7,26).
 
2) Entendimento: é o dom de entender os sinais da presença de Deus nas situações humanas, nos conflitos sociais, nas lutas políticas.. É o Dom Divino que nos ilumina para aceitar as verdades reveladas por Deus. Mesmo não compreendendo o Mistério, entendemos que ali está a nossa salvação, porque procede de Deus, que é infalível. O Senhor disse: “Eu lhes darei um coração capaz de me conhecerem e de entenderem que Eu sou o Senhor” (Jr 24,7).
 
3) Conselho: é o dom de saber discernir caminhos e opções, de saber orientar e escutar, de animar a fé e a esperança da comunidade. Só assim orientamos bem a nossa vida e a de quem pede um conselho.
 
4) Fortaleza: é o dom de resistir às seduções da sociedade capitalista, de ser coerente com o Evangelho, de enfrentar riscos na luta por justiça, de não temer o martírio. É esse o Dom que faltou para o Apóstolo São Pedro quando negou o Mestre, e que lhe foi dado depois pelo Espírito Santo no dia de Pentecostes. São Paulo confiava no Dom da Fortaleza. Ele disse: “Se Deus está conosco, quem será contra nós?” (Rm 8,31).
 
5) Ciência: é o dom de saber interpretar a Palavra de Deus, de explicar o Evangelho e a doutrina da Igreja, de fazer avançar a teologia, de traduzir em palavras o que se vive na prática. Por este Dom o Espírito Santo nos revela interiormente o pensamento de Deus sobre nós, pois “os mistérios de Deus ninguém os conhece, a não ser o Espírito Santo” (Cor 2,10-15).
 
6) Piedade: é o dom de estar sempre aberto à vontade de Deus, procurando agir como Jesus agiria e identificando no próximo o rosto do Cristo. É o Dom pelo qual o Espírito Santo nos dá o gosto de amar e servir a Deus com alegria. Por ser o “amor do Pai e do Filho”, o Espírito Santo nos dá o sabor das coisas de Deus. “O Reino de Deus não consiste em comida e bebida, mas é justiça, paz e alegria no Espírito Santo” (Rm 14,17).
 
7) Temor: é o dom da prudência e da humildade, de saber reconhecer os próprios limites, de não pedir ou esperar de Deus que ele faça a nossa vontade. Não quer dizer “medo de Deus”, mas medo de ofender a Deus. Sendo Ele o nosso melhor amigo, temos o receio de não lhe estarmos retribuindo o amor que lhe é devido. Mais do que temor, é respeito e estima por Deus.

Oração do Divino Espírito Santo

Vinde Espírito Santo!
Enchei os corações dos Vossos fiéis e
acendei neles o fogo do vosso amor.
Enviai o Vosso Espírito,
e tudo será criado.
E renovareis a face da terra.
 
OREMOS:
Ó Deus, que instruístes os corações dos
vossos fiéis com a luz do Espírito Santo,
fazei com que apreciemos retamente
todas as coisas segundo o mesmo Espírito
e gozemos sempre da sua consolação.
Por Cristo, Senhor nosso.
AMÉM.
 
Oração para pedir os dons do Espírito Santo
 
Vinde, Espírito Santo,
E dai-nos o dom da sabedoria,
Para que possamos avaliar todas
As coisas à luz do Evangelho
E ler nos acontecimento da vida
Os projetos de amor do Pai.
Dai-nos o dom do entendimento,
Uma compreensão mais
Profunda da verdade,
A fim de anunciar a salvação
Com maior firmeza e convicção.
Dai-nos o dom do conselho,
Que ilumina a nossa vida
E orienta a nossa ação segundo
Vossa Divina Providência.
Dai-nos o dom da fortaleza.
Sustentai-nos, no meio de tantas
Dificuldades, com vossa coragem,
Para que possamos
Anunciar o Evangelho.
Dai-nos o dom da Ciência,
Para distinguir o único necessário
Das coisas meramente importantes.
Dai-nos o dom da piedade,
Para reanimar sempre mais
Nossa íntima comunhão convosco.
E, finalmente, dai-nos o dom do
Vosso santo temor,
Para que, conscientes de
Nossas fragilidades,
Reconheçamos a força de vossa graça.
Vinde, Espírito Santo, E dai-nos um novo coração. Amém.