Mons. Francisco se apresenta ao Clero da Diocese de Ipameri e diz que vem para servir com alegria

0
264

Na sexta-feira (17) Mons. Francisco Rodrigues do Rêgo, visitou a Diocese de Ipameri, para a qual foi nomeado bispo, pelo papa Francisco, no dia 15 de maio. Ele foi acolhido, primeiramente, pelo Clero da Diocese, no Centro Diocesano de Formação Pastoral (CDFP), em Ipameri. Na ocasião, os sacerdotes, um diácono transitório e um seminarista, que estavam reunidos em Formação Permanente, se apresentaram ao seu novo pastor. Também se apresentou a Comunidade da Irmãs Filhas do Amor Divino.

Momento da chegada

Mons. Francisco, em sua apresentação, disse que o sim que ele deu à Igreja, acolhendo o pedido do papa de assumir a Diocese de Ipameri, nasceu unicamente da fé. “O sim que dei à Igreja não está fiado em conhecimento, muito menos de vontade própria de estar almejando um cargo, honraria. Da minha parte um sim que nasce da fé no Senhor, confiado na misericórdia divina, no chamado que ele fez”. O nomeado citou o sim de Maria Santíssima que não entendeu tudo o que Deus queria dela, mas pela fé disse ‘Eis-me aqui’. “E como Nossa Senhora eu digo: ‘Faça-se em mim segundo a tua Palavra’”.

Ainda com relação à nomeação, Mons. Francisco comentou que jamais buscou o episcopado como um objetivo de sua vida. “Nunca tive especulação qualquer que seja ela, estar mais perto de alguém para alcançar o episcopado, ter informação ou fazer algo que tivesse visibilidade para para tal objetivo e foi com muita surpresa da minha parte, e ao mesmo tempo com temor para não dizer medo que eu disse sim. O chamamento é divino. E digo aos senhores que foi movido pela fé que eu disse sim. Tudo é novo. Não só lugares, mas pessoas. Mas eu penso que é acolhendo as coisas de Deus que a gente vai compreender sem criar pré-conceitos”.

Em seguida, o Administrador Diocesano, Pe. Orcalino Lopes da Silva, agradeceu as palavras do Mons. Francisco dando boas-vindas a ele nesta Igreja particular. “Agradecemos a sua colocação. Com certeza foi motivo de muita alegria para todos nós desde o momento que foi anunciado pela manhã da quarta-feira, na Catedral. Por mais que pensássemos diferente, mas quando o Santo Padre anunciou e quando eu recebi a carta da sua nomeação, eu me senti muito feliz. Mesmo que a gente não tenha aquele conhecimento mais profundo, mas a gente já teve a alegria de poder encontrar com você outras vezes. Seja bem-vindo entre nós. O aguardamos no coração de Deus, rezamos para que Deus fizesse sua vontade, e nós o aguardamos com muita espiritualidade, tanto nas comunidades da Diocese como aqui na Catedral então, que você realmente seja bem-vindo e nós queremos preparar com alegria sua chegada oficial entre nós para que possamos traduzir a nossa grande alegria de tê-lo como nosso pastor. Que possamos fazer realmente uma caminhada como sempre o fizemos com os outros vários bispos que aqui passaram cada um com suas características, com seu jeito de ser, mas sempre procurando viver a comunhão e a participação”.

Os padres da Diocese de Ipameri também se apresentaram um a um ao bispo nomeado, dando boas-vindas a ele e desejando um frutuoso ministério. Ao meio dia foi servido o almoço e depois Mons. Francisco conheceu a Catedral de Ipameri, onde se ajoelhou em frente à Cátedra e rezou.

Leia na íntegra, abaixo, a apresentação do Mons. Francisco ao Clero da Diocese de Ipameri

Saibam neste momento que aquilo que a gente experimenta nasce da fé. Um dos fiéis onde eu cheguei certa vez disse: ‘Na Igreja nós não escolhemos nossos líderes, nos são enviados, acolhemos com fé. O elemento que efetivamente faz com que acolhamos as coisas de Deus e as entenda é a fé. E saibam os senhores que o sim que eu dei à Igreja não está fiado em conhecimento, muito menos de vontade própria de estar almejando um cargo, honraria. Da minha parte é um sim que nasce da fé no Senhor, confiado na misericórdia divina, no chamado que ele fez, ao modo de Maria Santíssima que não entendeu tudo o que Deus queria dela, mas pela fé disse ‘Eis-me aqui. E como Nossa Senhora eu digo: ‘Faça-se em mim segundo a tua Palavra’.

Um colega outro dia dizia: ‘padre, o senhor quando diz sim ao seu diaconado, já está dizendo sim para as outras missões que virão, o presbiterado e o episcopado. E é tudo muito novo para mim, muito recente. Tudo é novidade para mim e nesse sentido há um espanto da nossa parte, mas o que é novo, se vem de Deus a gente acolhe, descobre e sabe que é bom. Quando a gente reza e todas as pessoas se cumprimentam ‘seja feita a vontade de Deus’, é sempre o melhor. Saibam que é pensando assim que eu estou aqui. Nunca tive especulação qualquer que seja ela, desejo de estar próximo de alguém, ter informação ou fazer algo que tivesse visibilidade para chegar ao episcopado e foi com muita surpresa da minha parte, e ao mesmo tempo com temor para não dizer medo que eu disse sim. O chamamento é divino. E digo aos senhores que foi movido pela fé que eu disse sim. Tudo é novo. Não só lugares, mas pessoas. Mas eu penso que é acolhendo as coisas de Deus que a gente vai compreender sem criar pré-conceitos. Eu não procurei saber nada daqui, de ninguém para não criar pré-conceitos. Vim desarmado, aberto, para a gente ter o que é de melhor que é a fé. Não venho trazer proposta nova de nada. A novidade é uma pessoa: Jesus Cristo, ele que é anunciado ontem, hoje e sempre e no dia que deixar de ser isso nós não estamos mais na comunidade de salvação que ele quis que é a Igreja. E é pensando assim que nós devemos acolher o novo de Deus na nossa história e nesse momento da história dessa diocese que tem como Padroeiro o Espírito Santo. Estamos bem assistidos então vai ser o Espírito Santo e nós. Pondo assim as coisas vão pouco a pouco se ajustando, então acolho toda a Diocese, as suas 19 cidades, todas as paróquias e todos os senhores que são padres diocesanos e os religiosos e aqueles filhos e filhas todos que Deus nos confiou que fazem parte desta porção do povo de Deus que aqui está e queremos viver esse espírito de comunhão, nos conhecendo.

Trecho da apresentação ao Clero

Eu sempre vejo que em geral quando a gente leva alguém ou algo, a gente faz um embrulho para dar o presente, mas embrulho não é presente, este está dentro e nós devemos nos descobrir aos poucos para ser o presente de Deus que ele me deu que é a Diocese de Ipameri, mas ao mesmo tempo presente que Deus concede essa diocese hoje. Oficialmente vai ser depois de ordenado bispo e tomando posse, mas desde o momento em que foi noticiado no dia 15, a gente já começa a assumir, vem e o senso de pertença a esta porção do Povo de Deus que me é confiado. Quero dizer aos senhores que venho para somar, não para dividir ou para dar exclusividade a esse ou àquele grupo ou pessoas.

Quero que os senhores saibam que nunca gostei de ser rotulado como padre de lado A ou B, de pastoral A ou B, desde quando fui seminarista e passei pelo seminário de Uruaçu, do Rio de Janeiro, de Brasília, estudei com colegas de outas dioceses de nosso país e pelas cidades onde passei: Barro Alto, Estrela do Norte, Santa Terezinha de Goiás, Goianésia, Minaçu e agora Uruaçu. Sou padre da Igreja e onde Deus nos confia é lá que a gente vai viver a fé. Jesus não rotulava ninguém. Quando uma pessoa chegava e diziam que era aleijado, ou cego. O Senhor via a pessoa e não o que o outro trazia sobre ela. Então, é pensando assim que eu acolhi e acolho esta missão a mim confiada e peço aos Senhores que acolham o novo de Deus como também. Talvez um pouco menos apreensivo do que eu porque eu ainda estou sem dormir direito, sem comer direito, a lógica do raciocínio às vezes falha dada essa novidade. E confio na Virgem Maria. Estive a pensar como Nossa Senhora disse sim e depois do sim dela tudo mudou na história. E ela era uma mulher frágil, nova, mas confiando somente em Deus. Eu recebi como todos o dom da fé do Batismo e com a fé ensinei e ensino muitas vezes que Deus nos dá a graça e a missão vem de maneira diferente. É pensando em uma missão que eu aqui estou. Não como encargo, não como carreirismo e nem como honraria, mas como aquele que quer ser servo com vocês e servindo ao Senhor com alegria. E assim eu tenho dito.

Veja mais fotos