II Ampliada Bíblico-Catequética estuda vocação, ministério e missão do catequista e elege nova coordenação regional

0
7

Nos dias 20 a 22 de setembro aconteceu na sede do Regional Centro-Oeste da CNBB, a II Ampliada Bíblico-Catequética do Regional Centro-Oeste com o tema Catequista: vocação, ministério e missão. O encontro foi assessorado pelo padre Humberto Robson de Carvalho, da Arquidiocese de São Paulo. Ele é coordenador de pós-graduação em catequese e espiritualidade no Centro Universitário Salesiano – campus Pio XI, e um dos autores do livro cujo tema é o mesmo trabalhado na ampliada.

Em suas colocações ele apresentou um pouco da história da catequese primitiva até o Concílio Vaticano II que, conforme disse, um grande referencial para a catequese. “Destaquei muito a catequese primitiva no que diz respeito a iniciação a vida cristã e ao catecumenato”, afirmou. O palestrante disse que a catequese primitiva é importante porque leva os catequistas a conhecerem o cristianismo primitivo.

Questionado em entrevista sobre os desafios da catequese nos dias atuais, ele explicou que é preciso colocar a catequese em seu lugar de destaque na Igreja, que é na dimensão mistagógica. “Nós temos uma catequese muito pedagógica. O que me refiro em catequese pedagógica? Uma catequese centrada no conteúdo. Nós precisamos voltar à catequese primitiva da qual o Concílio Vaticano II nos orienta também que é essa catequese mistagógica. Pedagogo é uma palavra grega formada de duas outras, paidós (criança) agogé (condução). O que faz o pedagogo? Pega pela mão e dá alfabetização, ensina ler, escrever, contar. Isso é o papel do Estado. Nós catequistas precisamos ser mistagogos (mista) mistério, qual o mistério? O mistério pascal de Jesus. Então mistagogo é aquele que conduz ao mistério, que pega pela mão e leva ao encontro pessoal com Jesus. Esta é a nossa missão”, esclareceu. “Nós precisamos de uma catequese que eduque não só para os sacramentos. Também, mas uma catequese que eduque para a vida, que tenha uma iniciação cristã. Isso é o fundamental”, completou.

Fabíola de Aleluia Fernandes, catequista de segunda etapa de Crisma, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, de Pires do Rio (GO) na Diocese de Ipameri, disse que a formação irá ajudá-la a continuar na missão. “Sem dúvidas, a II Ampliada Bíblico-Catequética contribuiu para a minha formação humana e como catequista, pois fomos conduzidos a ampliar o horizonte de evangelização por meio da catequese com o objetivo de transformar a vida de tantos jovens. O padre Humberto muito bem disse que não se nasce cristão, torna-se, logo, a partir deste período de aprendizado poderei auxiliar tantos a tornar-se verdadeiramente cristãos”, afirmou.

Uilton Pereira, membro da Comissão Diocesana de Catequese da Diocese de Anápolis também destacou o resgate da catequese primitiva como fundamental para ajudar os catequistas a entender sua missão. “Nossa catequese precisa ser mais querigmática e mais catecumenal que busca inserir as pessoas à vida de comunidade e o conteúdo que o padre Humberto trouxe muito me ajudou a ter mais sede pela missão de catequista para que eu possa continuar entendendo transmitindo os valores da nossa fé aos nossos catequizandos”.

Nova Comissão Bíblico-Catequética Regional

Durante a Ampliada aconteceu ainda a eleição da nova Comissão Bíblico-Catequética do Regional Centro-Oeste da CNBB, que ficou assim formada:

Bispo Referencial: Dom Eugênio Rixen (Diocese de Goiás)
Assessor: Pe. Rodrigo Antônio, cp (Arquidiocese de Goiânia)
Coordenadora: Anamar Ferreira Arrais (Diocese de Goiás)
Vice-coordenadora: Andréia Moura Zemuner (Arquidiocese de Brasília)
Secretário: Wanderson Saavedra Correia (Diocese de Luziânia)
Tesoureira: Keila Karla Pacheco – (Diocese de São Luís de Montes Belos)