A Esperança da Jornada Mundial da Juventude

0
66

No dia de ontem, 24 de janeiro, a juventude do mundo acolheu o santo padre, o Papa Francisco, na orla da cidade do Panamá, chamada de Cinta Costeira, que nesta semana recebeu o nome de Tarima Santa María L’Antigua.

Passando entre a multidão no seu papamóvel, o papa saudou e abençoou os presentes enquanto se dirigia ao centro da Tarima onde se apresentaria pela primeira vez aos seus diletos Jovens.

Ali, no campo de Maria, Francisco recebeu o Regalo das Nações, um presente representando os cinco continentes e a oração de todos povos pelo sucessor de Pedro numa belíssima dança das bandeiras nacionais ambientadas por dois antigos hinos de Jornadas: Roma 1984, “Fica Conosco, Senhor”, e Roma 2000, “Emanuel”.

E foi a partir do Emanuel, o Filho amado e enviado de Deus que o papa Francisco incentivou a todos a continuar se entregando ao amor de Deus. Mesmo diante dos demasiados desafios e percalços pois “o Senhor sabe mais de levantadas que de caídas e, portanto, convocou a juventude a ficar de pé pronta para amar e testemunhar o Senhor. E este testemunho é o verdadeiro fruto da Jornada Mundial da Juventude a esperança do “rosto do jovem, a oração daquele que sai e volta para casa com o coração e a alma transformado”, com a mesma coragem e entrega radical de Maria. De pé e com a mesma prontidão da Senhora que “se animou a dizer sim, se animou a dar vida ao sonho de Deus” quando respondeu ao anjo e se doou para que a Palavra da Vida se fizesse obra em seu ser para a salvação de todos.

Com a coragem que nos pede o papa, que nos transforma o Espírito, entregamo-nos, irmãos e irmãs, à vontade de Deus Pai para colhermos os frutos regados pelo sangue de Cristo.

Não tenhamos medo, ou receio de responder a Deus. Ouçamos a voz da Igreja, ouçamos o evangelho e façamos o que Deus nos diz, segundo a sua transformadora vontade e graça.

Diácono Glauber Roberto da Silva
Diocese de Ipameri-GO