Sínodo: peregrinação é rebatizada como caminho de Emaús

0
73

Dom Vilsom Basso, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, que caminhou junto ao grupo, descreveu a peregrinação espiritual feita até o túmulo de São Pedro, na Cidade Eterna, como os passos percorridos pelos discípulos de Emaús até encontrar Jesus.
Silvonei José e Andressa Collet – Cidade do Vaticano

O percurso de 6 Km percorridos nesta quinta-feira (25) pelos Padres Sinodais e jovens auditores que participam da assembleia dos bispos no Vaticano faz parte da Via Francigena, mas acabou sendo rebatizada. Dom Vilsom Basso, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, que caminhou junto ao grupo, descreveu a peregrinação espiritual feita até o túmulo de São Pedro, na Cidade Eterna, como os passos percorridos pelos discípulos de Emaús até encontrar Jesus.

“Na verdade me veio ao coração a passagem dos discípulos de Emaús: caminhando dois a dois, o percurso de 6 Km, juntos, todos como Igreja. E sabendo que o espírito de Deus está conosco. Por isso levo desse Sínodo e dessa peregrinação esse sentimento de caminhar, como Emaús, com Jesus, na certeza de uma vida plena para todos; partir o pão e voltar sempre alegres pra missão. Esse caminhar como o povo hebreu, esse caminhar como Emaús, caminhar pelas estradas da vida, sabendo que Deus está sempre com a gente. Se a gente enxerga ou não, sente ou não, mas Ele está conosco. E isso nos faz caminhar sempre e sem perder a esperança, com alegria, fazendo o bem, porque para isso estamos aqui.”